sexta-feira, 25 de maio de 2007

Choses du Brésil



- Alô, Daniel?
- Sim, sou eu.
- Aqui é da organização do 9º Festival de Cinema Brasileiro em Paris. Você quer ser o DJ da festa de encerramento?
- Hein?
- Tá a fim? Só música brasileira.
- Claro! Mas eu não toco nem funk e nem axé. E nem Seu Jorge, claro.
- Perfeito. Então é você mesmo.


Foi de sopetão que recebi esse telefonema. Mandei alguns e-mails uns dias antes, procurando coisas pra fazer por aqui, mas nunca pensei que a minha estréia como DJ em terras francesas seria em tão alto estilo.

A festa rolou num barco, no Rio Sena. E a feijoada, o pão-de-queijo e a caipirinha eram liberados. Mas um item, não incluso no cardápio, também marcou presença: o maleta brasileiro. Na verdade, UM maleta brasileiro.

É verdade que existe maleta em qualquer lugar. Mas esse era especial. Tinha talento pra coisa.

No começo da festa, enquanto os convivas degustavam uma flatulenta feijoada, Roberto Carlos dava o tom. O maleta, que ainda não tinha conquistado esse título, chegou perto da cabine. Apontando para si mesmo, cantava junto com o Rei: “Eu sou terrível e é bom parar...”. Animado, jogou a cabeça pra trás, tipo o Pablo do Sílvio Santos, deu um semi-giro e voltou pra pista.

Algumas músicas e várias caipirinhas depois, ele voltou. Com a boca já meio mole.

- Véio, dá pra tocar Expresso 2222?
- Toquei 5 músicas atrás.
Num lampejo de consciência, ele se lembrou.
- É mesmo. Foi massa. Tá mandando, hein?

A noite continuou. Pista cheia, Caio Blat cercado de peruas francesas e brasileiras, e o maleta saracoteando pra lá e pra cá. Uma hora ele veio pra cá. Tava difícil entender o que falava.

- Eu posso te pedir um favor. Aliás, um favorzão. Um favorzão do fundo do meu coração? E bateu no peito várias vezes com força.
- Se eu puder ajudar...
- Bicho, eu amo o Gil. Pode tocar Expresso 2222?
- Mas eu já toquei. Tá lembrado?
Não tava.
- Pô, o ministro cara. Tá faltando suíngue, saca? Tô a fim de me jogar na pista. Nisso, deu uma rebolada, mostrando como se jogaria.

Pra tirar o Maleta (agora já com M maísculo) de perto, eu prometi que tocaria de novo. Claro que não pretendia cumprir o acordo. E muito menos vê-lo se jogar na pista. Mas tinha que falar qualquer coisa pro bafo-de-onça sair da minha cola.

Já no fim da festa, com a música bem mais baixa e calma, o Maleta reinava absoluto na pista de dança. Ocupava todos os espaços ao mesmo tempo. Abria os braços, rodava uma desavisada, cantava alto, se ajoelhava na frente de outra, pulava. Sempre com uma caipirinha na mão. Com o olhar perdido, me localizou e se lembrou da minha existência. Levantou a mão e deu um grito rouco e desafinado.

- Expresso 2222, porra!


Mas já era hora de acabar. Todo mundo saía. Só o Maleta queria mais. Juntou todas as forças pra ser entendido uma última vez e foi falar com um dos organizadores do evento.

- Olha só. Eu até queria ficar mais, mas esse carinha aí não toca Expresso 2222. Então eu vou embora.

Nisso, virou e levou um tombo espetacular. Bêbado é um bicho solidário, e logo apareceu um outro, em estado ainda pior, pra tentar dar um apoio. Enquanto o ajudava a se levantar, soltou a frase definitiva da noite.

- Coitado... Chamou tanto o expresso que acabou atropelado.

10 comentários:

CY disse...

heheheheh poderia ter sido pior... "Toca Revelação!" hehehehe Très chic, hein? Que venham muitas outras festas por aí pra você. De preferência, sem maletas nem valises. :o) BJIM

Anônimo disse...

hahahahahaha!!!!! :)))
beijão, dani! sabrina.

Pê disse...

Dani,
Vem botar o som no festival de DC!
Abalou Paris!
Beijo, querido

tresporquatro disse...

Rapaz.. mas os maletas estão em todas mesmo. E tu tá podendo, heim?!?!? Daqui a pouco teremos notícias suas pelo jornal. Aquele abraço. Thiago.

Pequena disse...

Toca Raul!

(Amei o texto!)
Bjocas

Anônimo disse...

Grande Daniel, gosto dã sua visão das coisas e da forma como as transcreve. Muito bom. Prazer em lê-lo. Recomendo seu blog em um novo espaço que estou "alimentando" além do Kilodrama: http://ca_entre_nos.blig.com.br

Grande abraço!
Sucesso por aí.

Xandão

Daniel Duende disse...

Ahahahahahaha.... perfeito! :D

Nada como ver um mala caindo. Aliás, é até melhor do que ver um sabe tudo caindo. Se o sabe tudo caiu do Arco do Triunfo, este mala aí (do tipo que dá até pra imaginar como é) foi mesmo atropelado pelo expresso 2222... ou terá sido a caipirinha? :)

Os malas brasileiros franceses são piores do que os nossos malas brasileiros? :D

Abraços do Xará Verde.

Thiago disse...

Voce so se esqueceu de contar como realmente se livrou do Maleta, mandando para nossa mesa para discutir sobre igrejas evangelicas em Paris : )
Vc ainda paga essa C&C!

Anônimo disse...

Não sei pq DJ adora não tocar uma música quando é pedida, e quando insistem ai que esses botadores de som se acham e não colocam mesmo.
Coitado do bebum que só queria ouvir o som de Gil.

Coaracy disse...

Já passei por situação parecida, só que a música era, se não me engano, Rock'n'Roll, do Led Zeppelin. TCHOSES do Brasil!