sexta-feira, 9 de maio de 2008

Como irritar (um pouco mais) um parisiense

Parisiense é um ser naturalmente irritado e impaciente. Não sou eu que digo, mas os próprios, que usam essa característica até em publicidades locais. Recomendo enormemente nunca entrar em uma discussão com um deles, pois você dificilmente vai se dar bem. Mas, caso você goste de polemizar, ou se estiver disposto a uma imersão antropológica mais profunda na sua estada em Paris, aqui estão algumas dicas de assuntos que certamente vão despertar a ira dos habitantes da capital francesa. Mas atenção: é melhor estar preparado para se defender. Não diga que não avisei.

. A provocação é vermelha

Se existe um patrimônio nacional francês, é o vinho. Há todo um ritual para tomar a bebida, seguida de forma dogmática por alguns puristas. Tenha em mente que mexer com esse tabu é algo que pode custar uma extradição sumária para o Brasil.

Graduação do insulto - Em uma escala de 0 a 10, falar mal do vinho francês merece nota 7,5.

Como incitar - Em um restaurante:

- Tem vinho argentino?

- Não, senhor.

- E chileno?

- Não.

- Italiano?

- C'est bon, non? Aqui só temos vinhos franceses.

- Só tem vinho nacional?
- Oui.

- Que boteco vagabundo. Pra tomar vinho nacional eu teria ficado no Brasil.


. O incômodo é cremoso

Não se critica o odor dos queijos franceses. Eles fedem, mas são feitos para serem assim mesmo. Aliás, quanto mais fétidos, melhor. E não há nada que se possa fazer a respeito.

Graduação do insulto - É um pouco mais grave do que o anterior, e merece 8,2.

Como incitar - Em um vendedor de queijo, coisa que tem aos montes por aqui:

- Monsieur, esse queijo que o senhor trouxe está fedendo.
- Heresia! Pois saiba que é um camembert super refinado.

- Rapaz, eu seria capaz de jurar que ele foi esquecido junto com a roupa suja do time do Paris Saint-Germain.


. O chato é falante

Já pegou metrô de manhã cedo em Paris? As pessoas estão de cara tão feia que a quantidade de carrancas ali encontradas faria a alegria de qualquer barqueiro do Amazonas. Pra freqüentar o ambiente, é recomendável ter tomado vacina anti-rábica.

Graduação do insulto - Não sei se dá pra classificar como insulto. Mas em termos de provocação uma nota 9 não é exagero.

Como incitar - Fale com desconhecidos no metrô, de manhã. E fale muito. Comece com uma das opções abaixo:

. E o Paris Saint-Germain, hein? Faz tempo que não fazem um gol, hein? Acho que eles vão cair, hein? O que eles poderiam fazer? Hein? Não entendi? Pode repetir? Hein?

. Estou tão sozinho. Me sinto tão triste.
Minha mulher me deixou. Não tenho mais teto. Achei que o senhor poderia me ajudar. Um ombro amigo, sabe? Você me parece tão simpático. Posso dormir na sua casa hoje? No sofá mesmo, pois detesto incomodar.

. Conhece a piada do "não, nem eu"? Não? Nem eu! Ha ha ha! Essa é boa, né? Excelente pra começar o dia de bom humor. E eu logo vi que bom humor é o seu sobrenome. Tenho ainda várias outras. Quer ouvir? Te convido para um café. Meu repertório é enorme, você vai adorar.


. O beijinho é fatal

O beijinho é a arma final. A apelação. O cinismo. Se nada funcionar, utilize-a.

Graduação do insulto - Esse vale 10, com menção honrosa.

Como incitar - Alguém gritou com você? Mande beijinho. Bufou do seu lado? Bisous nele. Te disseram "ça va pas"? Bitocas são a saída. Seguem exemplos práticos de utilização, quando alguém vier reclamar:

1.
- Monsieur, o senhor está no meu caminho. Isso me incomoda muito.

- Posso te dar um beijo?

2.
- Sabia que esse seu sorriso na cara é proibido em Paris? Faça o favor de parar com isso agora mesmo.
- Só se você me deixar dar um bom cheiro no seu cangote.


3.
- Merde! Franchement, ça me dérange! C'est bon! Ça suffit!
Putain!
- Mas você prefere no rosto ou na boca?

8 comentários:

Pequena disse...

Hum vontade de pessoalmente praticar as suas dicas.
Logo,logo apareço por aí.
Excelente texto, as usual!
Um beijo,
Bárbara

mohallem disse...

Uma boa também é entrar em turma no metrô ou em uma loja e falar alto. Não precisa gritar, é só falar mais ou menos como se conversa entre amigos no Brasil. A chance de ouvir alguns palavrões escabrosos é altíssima!

Anônimo disse...

Ahhh muito bom!!!
Adoraria testar isso... muito!!!
Fala pra mim, você anda fazendo isso por aí, não?
Beijocas muitas
Flor

Carolina disse...

Descobri esse blog por acaso, e gostei tanto que já li todos os posts antigos..! Amei!

Aline disse...

Nossa, já terminei de ler, mas ainda não consegui parar de rir!
Pela minha experiência em PAris, não teria coragem de testar nenhum desses! (risos, muitos)

Bruno Carmelo disse...

hhaha Adorei a dica do beijo, ainda preciso usar essa!

Abraço.

FabiCatarse!! disse...

...bom demais!!! A do vinho deve ser uma maravilha por em prática... mas tem de ter preparo físico pra correr se a coisa for ficar zidanesca!! hehehehe

Veruska disse...

A do vinho... priceless. ;)