sexta-feira, 8 de julho de 2011

Des bisous

Francês adora se dar beijinho no rosto. “Faire la bise”, eles dizem. E ao contrário do que pregava Tim Maia, aqui também vale homem com homem e mulher com mulher.

Quero deixar claro que não tenho nada contra cumprimentar meus amigos macho alfa dessa maneira. Mas o melhor é que a coisa seja resolvida rapidamente: “salut”, bisou, bisou, “ça va?”. Pronto, feito, não se fala mais nisso, passemos a outra coisa.

Só que nem sempre é tão simples. Sendo estrangeiro, você nunca está ao abrigo de situações embaraçosas, como quando vê de longe um amigo francês e reflete: “lá vem o sujeito, vou precisar beijá-lo quando ele chegar”. Ele, sabendo que você não é local, acaba pensando: “olha lá meu amigo brasileiro, vou fazer como ele e seus simpáticos conterrâneos, dar um abraço ao invés de um beijo”.

Aí ele pára diante de você, que quer se mostrar integrado e já faz o biquinho em direção ao rosto do cidadão. Ao mesmo tempo, ele coloca os braços em torno de você e também se aproxima. Batata, sem querer vocês estão quase se dando um verdadeiro french kiss. Uma situação, vamos definir assim, um pouco desconfortável, que pode tornar-se ainda pior se ambos ostentarem pêlos crescidos na cara. Já aconteceu comigo e é uma sensação que não consta da minha lista de preferidas. Se fosse classificá-la, ela viria depois do item intoxicação alimentar causada por salmonela.

Mas então você decide esquecer do incidente e passa bons momentos ao lado do seu amigo. E pra provar que o selinho não afetou em nada a sua virilidade, vocês conversam de assuntos de interesse masculino, como o campeonato africano de futebol, as diferenças entre a Playboy francesa e a brasileira ou último disco do AC/DC.

Até que chega a hora de ir embora. Meio bêbado, você se levanta e vai andando em direção à sua casa, no que é interpelado pelo seu amigo.

 - Peraí, vai embora sem dizer adeus?

Consternado, você o segura com força pelos ombros e lhe tasca uma rápida beiçada nas duas faces, antes que ele invente novamente essa história muito estranha de te abraçar.

6 comentários:

Pablo disse...

Intoxicação por salmonela foi um pouco exagerado, mas que é uma merda quando rola o selinho, é mesmo. O pior é quando você cruza um outro brasileiro e acaba inconscientemente cumprimentando à francesa...

Ana disse...

rsss....
ADOREI essa "história"...

Bom final de semana,

bjs

Ana
www.ananumdiadaqueles.blogspot.com

Camila Santos disse...

Eu acho é bom essa história de sair dando "bisous" por aqui. :)

Flor Falante disse...

Constrangedor sim... Principalmente se o camarada tiver mal hálito, herpes ou tiver ventosas no lugar da boca. Aff...

Bisous! :)

Anônimo disse...

heh..morro de ir com seus posts..são mto engraçados, interessantes e a escrita mto boa!

Rubinho disse...

Cara, continue escrevendo. Seus tetos são muito boms e divertidos, apartir de hoje sou leitor asciduo!

Parebéns! ou seria bisou? rsrs