sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Barrimotos


I.
- Tá mexendo! Põe a mão.
- Aqui?
- Não, do outro lado.
- Aqui?
- Agora é no outro.
- Aqui?
- Voltou pro de antes.
- Aqui?
- Parece que ele parou...
- Quietou de vez?
- Quietou.
- Bom, vou pra sala. Chama quando recomeçar.
- Volta, volta. Põe a mão.
- Aqui?
- Ih, parou de novo.

II.
- Olha a barriga.
- Tá mexendo.
- Sobe e desce, treme tudo.
- Verdadeiro barrimoto.
- Talvez tenha uma festa lá dentro.
- Legal. Vou contribuir com a trilha sonora.
- Comment?
- Cantar um pouquinho perto da sua barriga.
- Tem certeza?
- Aaaaatirei o pau no gaaaato-to.
- Ele parou de mexer.
- Deve ser um protesto contra os maus tratos aos animais.
- Ou contra os maus cantores...

III.
- Põe a mão.
- Onde?
- Aí mesmo.
- Não vai machucá-lo?
- Vai nada, põe.
- Eita...
- Sentiu?
- Senti. Baita chute.
- Forte, né?
- Chutaço. Quando for grande, vai jogar no Flamengo.
- E se for menina?
- Pode jogar no time feminino, ué.
- Mas pode também fazer outra coisa.
- Com um chute assim, seria um desperdício.
Leia também as histórias em quadrinhos de Belle & Chico. Em www.bellechico.com.br

Ps: o termo barrimotos, terremotos na barriga, foi criado pelos meus pais, provavelmente quando eu sacudia no ventre da minha mãe.

8 comentários:

Les Curieux disse...

Que bacana, a foto so me aguça a vontade de ter um segundo filho!
Bom final de semana

Bruno Carmelo disse...

Bacana, talvez a paternidade esteja te trazendo uma veia literària um tanto carinhosa.

Estava Perdida no Mar disse...

q fofo este post. achei lindo. da ate vontade de ter filhos...rs.

nataly disse...

Dani, você mais uma vez tocando a alma!! Lindo o texto...

Mami disse...

Oi Dani, tudo bom?
Barrimotos são fundamentais numa gravidez não é? E como são emocionantes! Lembro bem de você chutando. Muito legal!.
Beijos carinhosos para os três.
Mami

Déia disse...

Dani, precisamos urgentemente providenciar sua calça de paizão!!!

Beijocas,
Déia.

Jú Fuscaldi Rebouças disse...

No Flamengo!? No Flamengo não, né... Com um chute bom, tem que jogar é no Galo!

Pápi disse...

Chéri, informo que minha calça de paizão -- a que deu origem à série -- não está disponível. Foi herdada (diria assumida) pelo Pedro, em estado de "quase nova", pouco depois de ele, o Rei da Sucata, levar o carro do avozão, o nosso Opala Comodoro 88, mesmo ano de fabricação da roupa em questão. Talvez isso tenha um significado, mas... Déia, é melhor mesmo providenciar uma calça de paizão nova para o Dani, uma versão 95 pelo menos. Felizes barrimotos à mãe, ao pai e ao(a) filho(a).