sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Agulhando


Você ainda não deve estar sabendo, mas o francês Jaques Darosca está sendo apontado como o novo berro da moda mundial. Super antenado que sou, tentei entrevistá-lo durante a Paris Fashion Week, que rolou esse mês. Chegar até o cara foi moleza: passei pelos seguranças distraindo-os com uma conversa sobre os benéficos efeitos da combinação gatas de Ipanema e cerveja gelada. A complicação veio depois. Como eu estava usando um casaco falsificado da Adidas e meias que não combinavam com o seu "espírito bleu dessa tarde fria de outubro", Darosca recusou-se a falar comigo, bufou e deu um gritinho de desprezo. Não necessariamente nessa ordem. Em um lance de astúcia, porém, consegui esconder um microfone no camarim onde o estilista dava os retoques finais na sua última criação, ao lado do fiel assistente Alfie Nette.

- Ce putain de brésilien, do que ele entende, hein, hein? Aquele casaco da Adidas patético e fal-si-fi-ca-dér-ri-mo, comprado na Feira do Paraguai em Brasília. Digo isso porque conheço, conheço tudo de moda, tudo, mesmo a moda fora de moda como a dele. Ha ha ha, a moda fora de moda. Eu daria pra ser humorista. Bem que minha saudosa mamãe dizia: "Darosca, você dá pra qualquer coisa que queira". Sábia mamãe. Agora aquele brasileiro, se quiser falar comigo, filhote, só vestindo Dior pra cima. Não, pra cima também não, porque acima de Dior só tem Deus e eu, e mesmo assim não sei quem vem primeiro. Vamos combinar, Deus não é propriamente o que se pode chamar de um estilista de sucesso. Tá certo que sua primeira coleção foi um ar-ra-so, aquela folhinha que tapava as vergonhas de Adão e Eva. Mas depois Ele dormiu sobre os louros, e tem bem uns 10 mil anos que não solta nada de original. Sinceramente, aquela roupa de pele dos homens das cavernas era muito cafona. Pele é out, outzérrimo. Aliás, ninguém até hoje conseguiu me explicar porque os homens da caverna vieram depois de Adão e Eva. Tá vendo?, mais uma incoerência de Deus. Certamente o criador tirou período sabático e esqueceu de voltar. Eu não, sou completamente coerente. Minha coleção 2007, com o enigmático tema Filé de borboleta ou..., abriu espaço para a de 2008, A magnificência da contradição do sei lá o quê (em laranja e lilás). Tudo a ver. E graças a isso pude enfim atingir meu ápice em 2009, com Pum. Simples e lindo. O pum é o resultado de tudo o que ingerimos, e na minha arte não poderia ser diferente. Como fui eu que criei, darling, o meu Pum é a soma final de toda a história do estilismo. E digo mais. A partir de agora, tudo deverá ser repensado. Ninguém mais poderá desenhar roupas da mesma maneira. De fim, o Pum será o novo começo, o ponto de partida. Em 15 minutos, 15 petites minutes, quando minhas modelos pisarem a passarela, até Deus terá que se curvar a mim. Até Ele vai descer pessoalmente pra me aplaudir e... Mas o que você quer, Alfie? Não tá vendo que estou em plena catarse criativa?

- Só pra avisar que a luz acabou e o desfile foi cancelado, chefe.

- Merde...

7 comentários:

Sentilavras disse...

HAAHHAAHHA... "Darosca, você dá pra qualquer coisa que queira".
Olha a ambiguidade! Ri muito do seu texto! Vc deve ser um ótimo imitador de gays.

Natália Vaz disse...

Clap clap clap. Muy bueno!

Naiara disse...

Adorei o texto...muito divertido!

Fabi.Catarse!! disse...

kkkkkkkkkkkkk... autocentrado?! Imagina!!
.
Mais uma personagem que merece continuidade, heim?!
.
Bj!

Daniella Lima disse...

Bem inocente, resolvi googar "Jacques Darosca". O google me perguntou: Você quis dizer Jacques dá rosca?
Que mundo é esse hein?
O google entende a piada e eu não...

Beth disse...

Pois o Google daqui da França é mais inocente e não indicou nenhuma rosca, mais um "da Rocha"...

Neide disse...

Como faço pra ter uma revista? moro em ile de France...