sexta-feira, 5 de junho de 2009

Sem palavras

=======================================
Para ler escutando: Pavão Mysteriozo (Ednardo)

Clique no link acima com o botão direito do mouse e,
depois, em "abrir em nova aba"
.
=======================================

Fiquei horas em frente a um documento em branco, aberto na tela do computador, procurando palavras pra expressar esse sentimento compartilhado por brasileiros e franceses.

É que quando um fato assim acontece, e não importa se envolve ou não conhecidos, atinge a gente bem no fundo. E faz pensar bastante. Faz pensar, por exemplo, que se por um lado isso tudo parece não ter sentido, por outro algumas coisas adquirem um novo significado.

Coisas simples, como ganhar um abraço inesperado de uma pessoa com quem você esbarra de vez em nunca, feliz em te ver bem. Como receber e-mails de amigos fisicamente distantes, mas sempre próximos, querendo notícias. Ou como ter o impulso de ligar para alguém de quem se tem saudades só para dizer que tem saudades. E de repente a gente, que prossegue do lado de cá, se sente menos desprotegido.

É um conforto, mas é frágil. Tão frágil que basta um recado um pouco mais emocionado deixado na secretária eletrônica para abalar esse equilíbrio. E fazer pensar ainda mais forte em todos os que se foram tão de repente, desejando profundamente que fiquem bem, estejam onde estiverem.

Na verdade, continuo sem saber o que dizer.

8 comentários:

Gallô disse...

Ai, CariellÔ...lembrei tanto de você...

Fabi.Catarse!! disse...

(...)
.
.
.
bj

Falando nisso... disse...

Dani,
Na hora que soube fiquei perplexa...
Mesmo que não estivesse diretamente envolvida com o fato me senti importente, triste, preocupada com aquelas pessoas... pensei no sofrimento delas... todas! Nas que estavam dentro e fora do avião.
Pensei imediatamente em você, meu amigo querido, na sua família, em pessoas que, por ventura, você pudesse conhecer. Fiquei um pouco mais tranquila quando soube que você e Char estão bem...

O mundo é um mistério vivo... de repente nos sentimos conectados, ainda que por uma tragédia dessa escala; seria preferível que aprendêssemos a nos conectar uns aos outros sem que tivéssemos que experimentar situações de tanto desespero e tristeza...
Acidentes assim me deixam muito abalada e sensibilizada.

Um abraço do tamanho da Terra em você e na Char!!
Amamos muito vocês!!
Flávia

Falando nisso... disse...

Esqueci de comentar...
O Pavão é Mysterioso tal qual o mundo!
Bela escolha! Amo essa canção!
Flávia

Anônimo disse...

Daniel, você é um luxo! Lindo texto! Agradeço a Carol por ter-nos apresentado e a você por escrever. Um beijo. Obrigada pela lembrança da música também... Sandra Paulsen

Juliana disse...

Eu fiquei muito abismada...acho essa uma palavra que cabe bem...sou amiga da irmã do Maestro Silvio Barbato e partilhar o choque com a família foi chocante.A mensagem do santinho era a mesma do Léo.Dai vem tudo:mangue,framboesas,Paris,Rio,família e amigos

Túlio Moreira Rocha disse...

uma forma mto legal de falar sobre esse assunto delicado, cara... belo texto!

"conforto frágil"... sinto mto isso às vezes...

abraço!

Rafael Martins disse...

Eu também fiquei muito chocado quando recebi a notícia.
Sem dúvidas, um acidente com esse, nos faz refletir sobre os valores.
Mesmo não estando envolvido, me senti ansioso e agunstiado pra ter notícias.

Na verdade,o mundo inteiro está como a gente.

Belo texto.

Ps:esqueci de falar..fui procurar no orkut seu nome, de curiosidade e descobre que temos amigos em comum!hahaha. Esse mundo é muito pequeno mesmo.
Ps2: Os amigos em comum são Efigênia e o Pedro(filho dela).

Um abraço,Rafa.