sexta-feira, 17 de julho de 2009

Ela estava lá

Um dia ele olhou pro lado e ela estava lá. Não sabia de onde tinha vindo, mas ela estava lá. Perguntava-se como aquilo podia ter acontecido. Buscava na memória se ela havia sido convidada. Ou se chegara de mansinho. Ela simplesmente estava lá.

Suas gavetas estavam tomadas de peças estranhas. De cheiros raros. De cores impensáveis.

Ela estava lá.

Ele olhou para o teto, e ela estava lá. Olhou para o chão, e estava lá. E como já não bastasse preencher o espaço exterior, um dia ele olhou para dentro de si mesmo e percebeu, atônito, que ela também estava lá.

Sua cabeça fora ocupada por diferentes histórias. Por outras referências. Por novo idioma.

Ela estava lá, era tudo o que ele sabia.

Um dia ele olhou pro lado. E ela olhava para ele. E um dia, então, não esse, mas um outro, olharam para a mesma direção. E ainda que essa direção apontasse para muito longe, não havia dúvidas: era de fato uma direção. E deles, só deles.

Ela estava lá. E ele estava com ela.

Um dia ele olhou pro lado e disse:

- Boa noite, Charlotte.

E ela respondeu:

- Boa noite, Daniel.

Abraçaram-se. E dormiram.

Há um novo podcast do Connexion Française ao lado. Dessa vez dedicado à fase jazz de monsieur Serge Gainsbourg.
Para escutar, nada mais simples: basta clicar no botão 'play'.

16 comentários:

Dagma Ponte disse...

Que lindo!
amei esta tua fase doce...
Paz***

Carol Nogueira disse...

Que liiiindo! Tô vendo que eu vou chorar muito amanhã. :o)
Sejam felizes, amores.

Juliana disse...

Sim.Ela foi convidada...estava no sofá azul na casa da Valéria.Tocava Billie Holiday ou Jackson5 ou the Clash pq era quase só isso que se ouvia...inclusive pela preguiça de trocar o cd.Vc nunca precisou ser convidado vc fazia parte.Foi maravilhoso.

Pápi disse...

Valeu, Chéri! Ganhou, playboy! Charlotte, La Marseillese, derrubou a Bastilha, um pouquinho só depois do 14 de julho, mas em tempo. Guynemer, seu avô, não viu essa queda, mas recordes são para ser batidos mesmo. Um dia a casa cai. Sinto um quê de paixão no ar. Ah! Amar é... a mariage à Paris (seja lá que nome se dê a isso)! A bientôt.
Beijos do Pápi

Déia disse...

Dani, estou muito feliz por vocês!!! Em breve estaremos aí para comemorar!!!
Beijos e muitas felicidades ao casal! :)

Mami disse...

Dani, que poesia!! Muito lindo e verdadeiro o que você escreveu e também emocionante. Fiquei triste por não estar aí para comemorar com vocês. Que sejam muito felizes!!.Beijos e mais beijos para os dois.
Mami.

Fabi.Catarse!! disse...

Ó!Que fofo!

Luhu - Bsb disse...

Dani,

Muito lindo e verdadeiro... Fiquei tristinha por não poder estar aí... Felicidades!!

Mariana (a irmã e cunhada) disse...

Belíssima declaração de amor! Fico feliz de vocês terem encontrado um ao outro. Ah, claro, e muitas, muitas felicidades aos recém-casados!

Tais disse...

Muito lindo esse seu texto. Parabéns!

Jú Fuscaldi Rebouças disse...

Owwwnnn... *.*
Me lembrou Paulinho Moska, na música "Seu olhar".

Gabi Goulart Mora disse...

NAMORADOS

O rapaz chegou-se para junto da moça e disse:
- Antônia, ainda não me acostumei com o seu corpo, com a sua cara.
A moça olhou de lado e esperou.
- Você não sabe quando a gente é criança e de repente vê uma
lagarta listada?
A moça se lembrava:
- A gente fica olhando...
A meninice brincou de novo nos olhos dela.
O rapaz prosseguiu com muita doçura:
- Antônia, você parece uma lagarta listada.
A moça arregalou os olhos, fez exclamações.
O rapaz concluiu:
- Antônia, você é engraçada, você parece louca
( Manuel Bandeira)

Gabi Goulart Mora disse...

Salvem as coloridas lagartas listadas do amor!!!
Muitas felicidades!

Pedro Cariello disse...

texto maravilhoso, Dani.
E que a felicidade permaneça ao lado de vocês.

Abração
teu irmão

Sara disse...

Que carta de amor bonita!

francklin disse...

Curti, Daney!
Muito legal esse post.
Parabéns!
Abração, Francklin.