sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Breve história nasal da França

Como todos sabem, a França foi fundada por Asterix, o herói narigudo que tinha Obelix como parceiro. Obelix não possuía uma fuça tão avantajada como a de seu comparte, mas compensava o fato com a grandeza de sua pança. Os três, Obelix, Asterix e seu narix, derrotaram os romanos e preservaram a integridade do território gaulês.

A partir da idade média, o país passou a ser governado por reis. Um deles, Luís XIV, adorava enfiar o nariz onde não era chamado. E um dia soltou a famosa frase "quem peidou aqui?", seguida de outra menos conhecida, "o estado sou eu". Mas foi seu herdeiro, Luís XVI, quem pagou o pato, quando veio a Revolução Francesa e o monarca perdeu o nasal e a cabeça. Ao mesmo tempo.

Nesse interim (texto com pretensão histórica tem que ter a palavra interim, para passar um mínimo de credibilidade) nasceu Napoleão. Dizem que ele colocou as ventas pra fora de sua mãe e falou "isso não está cheirando bem". Depois deram um banho na progenitora, o que amenizou um pouco o problema. Mas a impressão de que algo fedia na França continuou nas idéias e nas narinas do sujeito, e ele decidiu que seria imperador. Não contente com aquele cheiro de camembert que imperava no país, Napoleão saiu atrás de novos ares, conquistando tudo o que encontrava pela frente. Exatamente por olhar apenas para a própria protuberância, não percebeu que os ingleses chegavam por trás. E dançou.

Mas os franceses têm uma capacidade de entrar em confusão comparável apenas ao tamanho de suas fuças, e meteram-se em duas guerras mundiais. Na segunda, foram salvos graças à intervenção do General De Gaulle, dotado de uma capacidade estratégica e de uma tromba invejáveis. Dizem que De Gaulle metia muito medo nos seus adversários, principalmente quando ameaçava espirrar.

Após tantas batalhas, eles decidiram investir em outras áreas, como cinema e esportes. Na primeira, o ator Gérard Depardieu fez suspirar metade das mulheres do mundo, com seus dois órgãos sexuais, um deles pendurado entre os olhos. E na segunda viram surgir o campeão de fórmula 1 Alain Prost, que faturou quatro títulos mundiais. Devido à sua napa, Prost largava sempre em primeiro, mesmo que estivesse na última fila. Depois dele, as regras do esporte foram mudadas. Para ser declarado vencedor, passou a ser exigido que o carro atingisse antes a linha de chegada. E não o piloto.

Hoje em dia, a França continua honrando sua tradição de criar personalidades com um grande sugador de oxigênio, tanto que é presidida por Nicolas Sarkozy. E mesmo que muitos dos franceses já torçam o nariz para ele, ao se casar com a Carla Bruni o baixinho mostrou que pelo menos para as mulheres tem um ótimo faro.

10 comentários:

Natália Vaz disse...

Afe, sem frescura e sem palavra pra te definir, Daniel. hahaha

Vc fez um síntese histórica, física e fisiológica da França muito bem feita nestas poucas linhas!

Abraços e felicitações doismilenovianas!

Pápi disse...

Mon cher Daniel,
Parece que há uma certa escassez de comentários no seu blog esta semana. Que será? Por isso vou dar uma força. Pesquise Cyrano de Bergerac, o Barão Haussmann, Ives Montand e nosso primeiro carrasco francês no futebol, o odiado Michel Platini. Sugiro a Enciclopédia Britânica (seria mais imparcial no quesito nariz), ou o Google imagem.
Se precisar sair da França correndo, não se preocupe: Mami e eu mantemos seu quarto do jeito que você deixou em Brasília, e além disso estamos mesmo precisando de seu trabalho na administração do Fundo 157 do Banco Alfa (continua em queda).
Do seu,
Pápi

Natalia disse...

Fantastico! De uma pessoa com nariz avantajado, que, talvez por isso, tenha escolhido a França para viver... Haja psicanalise!

FabiCatarse!! disse...

...genial!

PS:...o pessoal por aí deve provocar grandes ventanias em dias de crise de rinite, não?!

Chéri au Brésil disse...

Corre o boato de que Pinocchio seria, na verdade, nascido em Nice, como Garibaldi, e que Juca Chaves também seria francês (Jucá Chavés, provavelmente). O blog pode esclarecer?

J. . disse...

excelente texto!

Jú Fuscaldi Rebouças disse...

Amei!
Vou mostrar pro meu professor de história! Hahahahah...

Chéri disse...

Os dias estão frios por aqui. De vez em quando vejo um nariz vermelho virar a esquina, seguido logo atrás por um francês.

Abraços a todos!

edganem disse...

muito bom.
Pelo jeito vc tem bom faro!

abs

Zinnia disse...

Adoro ler seu blog....
Com certeza o Nicolas Sarkozy teve bom gosto trocando aquela bruxa pela carinhosa e simpatica Carla Bruni.