sexta-feira, 13 de julho de 2007

O pão nosso de cada dia


Em 4 meses de Paris já deu pra desmistificar algumas histórias que escutei antes de vir pra cá. Uma delas é sobre o humor dos franceses, supostamente grossos e antipáticos. Eu não tenho queixas quanto a isso. Sou sempre bem tratado e bem recebido onde quer que vá.

Até mesmo em lojas, ao tentar explicar com mímica orangotânica alguma coisa para a qual não tenho as palavras necessárias, sou ajudado com paciência pelos vendedores.

Mas é claro que existem as exceções pra confirmar a regra.

Saindo tarde do cinema, nada pra comer em casa, passei em frente a uma padaria, última baguette exposta. Quis me certificar de que não era velha.

- Bonsoir madame.
- Bonsoir monsieur.
- Essa baguette é de hoje?


A pergunta banal mudou a cara da até então simpática senhora. Ali descobri que se tem uma coisa na França com a qual não se pode mexer é o pão.

- Não senhor. A gente nunca vende pão de hoje. Esse deve ter uns 3 dias que tá aí. Quer assim mesmo?
- Embrulha, vai.


Na hora fiquei meio irritado com a grosseria. Mas o pão era bom e voltei lá uns dias depois. Tinha um outro cara no balcão e o lugar tava bem cheio. Chegou a minha vez.

- Bonjour.
- Une baguette, s'il vous plaît.
- Voilà. Mais alguma coisa?

Eu nem ia falar nada, mas ele abriu o espaço.

- Só uma pergunta: ela foi feita hoje?

O sujeito respondeu calmamente, sem olhar na minha cara.

- Monsieur, o nosso pão nunca é fresco. Olha pra essa fila. Todos vêm aqui porque ele é o pior da região.


Olhei pra fila. Alguns riam. Outros, sérios, observavam-me fixamente.

- Quero duas.


A coisa virou um desafio. Quando via algum atendente novo, entrava e fazia a mesma pergunta. E as respostas eram tão inconvenientes quanto a minha questão. Mas sempre criativas, devo confessar.

- Senhor, eu não compraria esse pão. Tá aí há 15 dias.
- De hoje? Tá brincando?
- Baguette nova é na padaria ao lado. Aqui só tem velharia.
- Claro que não. Nosso patrão proibiu de fazer pão todo dia.


Uma vez reconheci uma funcionária que já tinha visto antes.

- Bonsoir!
- Queria uma baguette, por favor. Ela é de hoje, né?
- Que tipo de pergunta é essa? Todo mundo sabe que nossas baguettes são da Idade da Pedra.
- Então me dá uma.

Ela me entregou o pão com uma cara tão cínica quanto a minha. Cheguei em casa e passei uma boa camada de manteiga. No que mordi com vontade, um 'croc' estranho, uma baita dor no dente e uma pequena pedra na minha boca. Eu acredito que foi azar, mas nessa hora juro que meu 6º sentido me dizia fortemente que naquela padaria alguém comemorava.

Depois disso ainda passei pela porta mais algumas vezes. Mas, olha, já faz um tempo que não entro ali...

10 comentários:

Pápi disse...

Meu filho,
Sempre achei uma temeridade você sair pelo mundo assim, sem pai nem mãe. Ainda bem que tem a Charlotte por aí, ficamos menos preocupados... Quanto ao pão, tenho uma idéia: combine esse pão ancestral com o "jamón" jurássico de um "bocadillo" espanhol. Pode estar aí a fórmula do "macmamute". Uma dica: não tente colocar queijo, mas não sei exatamente o porquê disso, é pura intuição. Uma informação: Jorge Benjor já está fazendo uma música para o Cristo Maravilha.
Traga uma bisnaguinha quando vier.
Abraço,
Pápi

Cynara disse...

Enquanto isso, no Carrefour daqui, a baguete sai de 15 em 15 minutos huahuahuahua Beijão, Daney!

dELáPRaCá disse...

D´accord, Pápi.

Mas, tem alguma coisa que não cheira bem: onde está o blog do cheiro? estava hilariante... e indiquei para uns amies...

abs

Stripper boy

Rodrigo War-Ledo disse...

Dizem, meu caro, que nessas padarias entram dois e só sai um...

O texto está sensacional (aliás, os outros também), e confesso que me surpreendi com seu lado cronista. Arrebentou!

Divirta-se muito aí, e procure não queimar muito o filme dos brasileiros... eeheheheh Abrações

cristovao.melo disse...

Sambila, o staff todo da padaria já estava avisado da tua inconveniência. Eles, com certeza, botaram um paralelepípedo na tua baguete!

Mami disse...

Oi Dani, mas que ingenuidade !!
A funcionária avisou que o pão era da Idade da Pedra, como é que você caiu nessa ???
Beijos, Mami

FabiCatarse!! disse...

...ah, com certeza eles fizeram esse pão com pedra e deixarm reservado pra você! "Da próxima vez que aquele cara perguntar se o pão é de hoje... dá o com pedra e responde que não, o pão não é de hoje... está duro feito pedra!"... como são criativos, quiseram ilustrar a piada!!!

www.claraemneve.blogspot.com

Pagu disse...

Boa! Quando eu for, uma preocupação a menos. O marido da minha tia, que é francês, na terra natal é uma flor de candura (sem trocadilhos), e quando chega aqui no Brasil, enlouquece. Por isso ainda temo um pouco o temperamento dos franceses. No mais, até que ele é educadinho.

tresporquatro disse...

Muito bom... e de quebra, inaugura mais uma máxima: "quem fala o que quer, come o que não quer".

Aquele abraço

francklin disse...

Daney, o post do cecê sumiu... Cadê? Tava muito engraçado!
Um abraço!