sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Três vezes sete


Sete respostas para quando alguém perguntar "aquela é a torre Eiffel?"
1 . Não, é um poço de petróleo. A França também está investindo no pré-sal.
2 . De jeito nenhum. É o arco do triunfo. Não sei por que todo mundo insiste em trocar o nome dos dois.
3 . Hã? Aquilo não estava ali ontem. Corre, corre, antes que ela cresça ainda mais e pegue a gente.
4 . Você precisa saber de uma coisa. Não existe torre Eiffel, não existe Paris, não existe a França. Segundo a teoria espírita, o mundo material é o plano moderador do caráter individual. Traduzido para a linguagem dos nossos dias, isso significa que a cada segundo ídolos, torres, totens e McDonald's são criados e destruídos. Quanto a mim, prefiro meu McChicken com mais maionese, mesmo sabendo que corro o risco de ter um enfarte. Mas, pensando bem, McChicken, maionese, enfarte e gols do Zidane são coisas que só existem na sua cabeça. Fui claro?
5. Torre Eiffel? Não é o Coliseu? Não estamos em Roma? Vou matar aquele agente de viagens.
6. Você pode chamá-la de torre Eiffel. Eu a chamo de Marta. Assim, só porque é mais bonitinho.
7. Rapaz, não é que é ela mesmo? Como é que eu nunca tinha visto?

Sete desculpas para não ir novamente ao Louvre e ver as mesmas obras de sempre, dessa vez acompanhando um cunhado do seu primo que está de passagem por Paris.
1. Minha religião proíbe visita a museus que mostram coisas velhas.
2. Não gosto de japoneses.
3. Putz, tô com uma gripe A lascada hoje.
4. Mona Lisa? Maior baranga. Investe a grana da entrada na última Playboy.
5. Quem precisa do Louvre quando se tem o Dicão? Não conhece o Dicão? Claro, claro, o nome dele é Argemiro das Dores Fortes. Conhece agora? Não? É um amigo meu, e ele tem um conhecimento tão grande sobre tudo que a turma do Biruta passou a chamá-lo de Dicionário. Depois virou Diciozão e, agora, Dicão. Pensando bem, acho que nunca te falei na turma do Biruta, um pessoal que frequentava o Bar do Biruta, lá perto de casa. Olha, acho que vou ao museu com você sim. Aí posso te contar em detalhes a história do Dicão, da turma do Biruta e da Margarida, de quem ainda não falei. Tem conversa pra uma semana aí. Desistiu de ir? Mas por quê?
6. Eu ia te propor exatamente de irmos lá hoje, mas acabei de receber uma ligação e vou ter que viajar às pressas pro Longequistão. Mó pena...
7. Não ficou sabendo? Ainda ontem transferiram o Louvre inteirinho pra Catolé do Rocha, na Paraíba.

Sete comidas exóticas francesas
1. Escargot
2. Carne moída de cavalo
3. Foie gras
4. Gafanhotos fritos
5. Linguiça de sangue
6. Coxas de rã
7. Brigitte Bardot aos 70

8 comentários:

Bruno Carmelo disse...

hahah Muito bom. Adoro quando o humor desbanca para o surreal.

Fala Mãe! disse...

Acho que comi essa carne de cavalo no Restaurante universitaire sem saber, ainda bem que não soube...

Ana Satrapi disse...

O último item das comidas exóticas foi o melhor! Muito bom!
Ahhh a bem da verdade até que o Sena no verão vira uma praia mesmo. ;)

Mirelle disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Debora Blog disse...

Magnifique! Ri muito com a série de comidas exóticas francesas especialmente o item "Brigitte Bardot" Hahahahahahaha... Se vc fizer as contas a Torre não é muuuuuuuto mais velha que a Brigitte não. Hahahahahahah!!!

Beijocas!

Mirelle disse...

Ola! Adorei o post!

Reproduzi no meu blog, citando a "fonte".

www.13anosdepois.blogspot.com

tudo bem?

Abraços!

Gabi disse...

Perfeito, Daniel ! :-)

Karol Gonçalves disse...

Achei a Brazooka lá na cadada Bélgica e nessa mania de ler rodapés parei aqui e adorei!

As desculpas para não ir ao Louvre novamente me vão ser muito úteis nessa temporadas de natal!
Merci!